Confessar exige coragem

Confesso a todos os presentes: fui leviana. E se isso denotar pecado para alguns, confesso que pequei. Por pensamentos e palavras que ainda não expressei, atos revolucionários que ainda não cometi e, omissões convenientes sobre a vida que levo, sobre os caminhos que traço nas linhas de um papel. Tudo pela culpa, tão grande culpa de um tempo, que nunca haveremos de controlar. Mas estou aqui para me remediar: leiam à vontade! ;D

domingo, 23 de maio de 2010

Gêneros e mais gêneros e mais processos seletivos


Pensando no vestibular, no ano eleitoral e comentando com alguns alunos, foi que pensamos num possível gênero, o Discurso Político. Então, para os que me pediram, descrevo aqui as características desse gênero e mando para vocês o melhor exemplo, na minha opinião, de um discurso político de posse: o de Barack Obama. Veja a notícia, o discurso original em inglês e também traduzido, no site do G1:


As características encontradas nesse tipo de discurso são:

O discurso político é um gênero discursivo produzido para ser proferido oralmente a um público específico em um evento solene e informativo. Expressa formalmente a maneira de pensar do locutor, que está ali para expor alguma informação ou alertar aos interlocutores acerca de algo. Por se tratar de um texto construído com o objetivo de defender um ponto de vista sobre determinado assunto, buscando o convencimento do auditório e, logo, sua adesão às ideias defendidas, é um gênero com características predominantemente expositivo-argumentativas, além de persuasivas. Devido a essa forma de interação, o ponto de vista defendido deve ser fundamentado com explicações, razões, ilustrações, citações, agradecimentos etc. Percebe-se também, por ser um gênero oral, a utilização de marcas de interlocução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário